GRIPP. É mais seguro.

NOTÍCIAS SOBRE O MERCADO DE SEGUROS

Em quanto tempo a seguradora paga uma indenização do seguro de vida?

18/07/2018 - Fonte: InfoMoney

Um processo de inventário pode se arrastar por meses e até mesmo por anos até que os herdeiros consigam receber a herança a que tem direito, e isso tem tornado cada vez mais comum a procura por soluções que agilizam o recebimento de valores com muito menos burocracia. Essa busca por liquidez tem sido preenchida pelo seguro de vida individual, por não se enquadrar como herança nos processos de inventário. Desse modo, o pagamento da indenização deve ser feito em no máximo 30 dias após a seguradora receber todos os documentos necessários.

Esse prazo é uma determinação da resolução de número 117/2004 do Conselho Nacional de Seguros Privados e da circular de número 302/2005 da Superintendência de Seguros Privados (Susep), que é o órgão regulador do setor. Na prática, as seguradoras podem pagar muito antes dos 30 dias – em vários casos, o pagamento da seguradora aos beneficiários da apólice acontece em até cinco dias úteis.

É importante lembrar, no entanto, que o prazo somente começa a contar após a entrega de toda a documentação prevista pela seguradora. O primeiro passo na hora de realizar o pedido de indenização é comunicar a seguradora por escrito assim que ocorrer algum evento que dê direito ao benefício. Essa etapa pode ser feita pelo próprio segurado ou pelos beneficiários, dependendo da situação.

Em seguida, é preciso comprovar a ocorrência do fato que gerou o direito ao benefício e todas as circunstâncias relacionadas. Por isso, as seguradoras costumam exigir alguns documentos antes de fazer o pagamento, como, nos casos envolvendo morte, a certidão de óbito do segurado, o documento de identidade do segurado e dos beneficiários, documento assinado e carimbado por um médico descrevendo a ocorrência do sinistro e o histórico médico relevante, entre outros.

O prazo é o mesmo para os pagamentos de indenização por invalidez acidental e doenças graves. O que pode mudar, no entanto, são os documentos exigidos pela seguradora. Nos casos de doenças graves, por exemplo, é necessário fornecer cópias de exames que comprovem as condições especiais do segurado. Por isso, para agilizar o recebimento do benefício é importante ler com atenção as condições gerais para entregar todos os documentos necessários em cada ocasião.

 

Análise prévia de risco

Outro diferencial oferecido por algumas seguradoras, principalmente as independentes, é a análise prévia de risco. Essa é uma etapa na contratação da apólice que pode envolver a realização de diversos exames de saúde, normalmente pagos pela própria seguradora.

Com o processo de análise prévia é possível agilizar o pagamento do benefício de forma mais rápida e proporcionar tranquilidade para o cliente ou seus beneficiários. Isso porque a seguradora já tem os dados do segurado, já que possui informações de saúde prestadas– ou seja, respeitando as condições gerais do seguro, o seguro será pago.

Vale ressaltar que, independentemente da realização de exames prévios, é fundamental que os segurados preencham o questionário de saúde com sinceridade, sem omitir qualquer informação, para que não haja problemas no pagamento do benefício e este seja realizado de forma mais célere.

O seguro de transportes pode ser a solução para a economia de empresas durante greves

13/07/2018 - Fonte: Segs

A recente paralisação dos caminhoneiros teve forte impacto em todos os setores da economia. Segundo estimativas, as perdas com mercadorias que não puderam ser entregues devem superar a cifra de R$ 10 bilhões, não considerados neste montante produtos importados e exportados.

João Carlos Machnick, CEO da Atix Corretora de Seguros, alerta para a importância do tipo de coberturas no seguro de transportes também para o dono da mercadoria.

“O seguro de transportes garante prejuízos às cargas em decorrência de ‘greves’ apenas nas apólices dos embarcadores (donos das cargas) e mediante inclusão de cláusula específica. Como via de regra, pagando-se prêmio adicional. Porém, no universo total de donos de cargas que compram seguros, bem menos da metade adquire esse tipo de cobertura que, numa situação prática, não garante prejuízos, por exemplo, quando uma mercadoria perecível estraga por não ter chegado ao seu destino por força de atraso causado pela greve”, afirma o executivo.

Machnick esclarece, ainda, que o Decreto 61.867, de 1967, estabelece obrigatoriedade de contratação do seguro de transportes para embarcadores e transportadores. Porém, cada qual com o tipo de apólice mais apropriado à sua posição no contexto operacional, não havendo, como muitos confundem, a duplicidade de contratação.

“Em momentos de maior vulnerabilidade a risco, o consumidor tende a ficar mais atento às soluções que o mercado segurador lhe oferece. Por isto, é muito importante que as empresas e pessoas possuam ou procurem uma corretora de seguros habilitada e informe-se sobre os riscos a que estão sujeitas e o que o mercado segurador possui de mais adequado a lhes oferecer em termos de garantias”, afirma João Carlos Machnick.

Por fim, o CEO da Atix destaca que a empresa é uma corretora que possui especialidade em transportes e oferece ao seu cliente, gratuitamente, avaliação constante de seus riscos, propondo medidas de gerenciamento adequadas à operação bem como soluções completas de monitoramento de suas cargas. Para saber mais, acesse o site: http://atixseguros.com.br/.

POR QUE ESCOLHER A GRIPP?

Atuamos em todo Brasil, oferecendo as melhores coberturas do mercado para você.

Desenvolvemos todo o trabalho de gestão, acompanhando cada sinistro até o pagamento do capital assegurado.

Dispomos dos produtos que mais se encaixam às necessidades de nossos clientes.

Estamos 24h à disposição para um atendimento rápido e personalizado, onde você estiver.